Home / Notícias / “Ferro Guarani’ projeto desenvolvido por servidores municipais de Tacuru que poderá mudar a historia do MS.
“Ferro Guarani’ projeto desenvolvido por servidores municipais de Tacuru que poderá mudar a historia do MS.

“Ferro Guarani’ projeto desenvolvido por servidores municipais de Tacuru que poderá mudar a historia do MS.

Diplomata JCPC e equipe de servidores municipais de Tacuru apresentaram em Dourados/MS projeto para implantação da Ferro Guarani. No dia 11 de março do corrente ano, reuniram se em Dourados na presença do Ministro de Carreira Diplomática João Carlos Parkinson de Castro, do Deputado Estadual Felipe Orro, com seguintes prefeitos: Márcia Marques de Antonio João, Derlei Belevatti de Porto Murtinho, e Carlos Alberto Pelegrine de Tacuru, com representantes das prefeituras de Naviraí, Caarapo, Ponta Porã, Sete Quedas, Laguna Caarapa, e Guaíra (PR); recepcionados pelo Secretario de Planejamento de Dourados Fabiano Costa, e do ex deputado federal Jose Elias Moreira, contaram com a presença do Presidente da Ferro Oeste Andre Gonçalves, do sr. Lucio Lagemann, Assessor de Logística da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar – SEMAGRO; com participação de vários empresários, economistas e vereadores. Apos ato de fala das autoridades presentes, o Ministro Parkinson de Castro realizou apresentação dos estudos da rota bioceanica, dos benefícios e impactos econômico a sociedade, importantes dados para a classe produtora, e ao mercado de exportação e importação, com enfase das possibilidades de Dourados e região e sua importância estratégica na rota; logo apos apresentou se a proposta do Projeto da Ferro Guarani, onde seus idealizadores Odilon Trindade Valençoela, Edmundo Tancredo Rodrigues e Lucas Aurélio Rodrigues, ilustraram as rotas e percussos, que visa a integração das ferrovias existentes brasileiras, argentinas e chilenas com as futuras implantações dos trilhos em território paraguaio, para se construir um conglomerado do mercosul para escoamento logístico de produção; a Ferro Guarani, tem nas suas metas, a revitalização de 323 km da ferrovia Campo Grande a Ponta Porã, passando por Sidrolândia, Maracaju e Dourados; e a implantação de um trecho de 111 km entre Ponta Porã a Dourados, passando por Laguna Caarapa, que visa a integração com ferrovia que esta sendo viabilizada pelo Governo Paraguaio entre Pedro Juan Caballero ao porto de Concepcion; desta maneira já possibilitaria os empresários da grande dourados a se beneficiarem da hidrovia paraguaia. Outro trecho apresentado esta na construção de 527 km uma ferrovia entre Cascavel a Ponta Porã, partindo do porto seco de Cascavel, passando por Maripa e Guaíra no estado do Parana, apos travessia do rio parana com a possibilidade do uso portos intermodal de hidrovia, segue pelo território de Mundo Novo, Japorã, Tacuru, Amambaí, Coronel Sapucaia e Aral Moreira; este trecho é estratégico porque transpassa o espigão do territórios sem muitos impactos ambientais, e possibilita o entrocamento no Município de Tacuru com uma ferrovia que esta sendo viabilizada pelo Governo Departamental de Canindeyu e Caazapa, onde as jazidas de urânio e titânio obteria sua viabilidade de escoamento por território brasileiro, juntamento com a produção de grãos. Atendendo antigos anseios, foi proposto o trecho, que visa interligar em 517 km o entrocamento de Dourados passando por Caarapo, Naviraí as Cidades paranaenses de Terra Roxa ate Maringa, onde ha ferrovia existente, permitindo todo escoamento de cargas de interesse dos dois Estados Mato Grosso do Sul e Parana. Na rota bioceanica, com destino a Antofogasta, um trecho propõe interligar com 371 km , Dourados a Porto Murtinho, passando pelo território de Maracaju, Ponta Porã, Jardim e Bela Vista; com objetivo atrativo aos 6 portos intermodais que estão sendo instalados em Porto Murtinho, a execução rota bioceanica, já sendo viável pelo corredor rodoviário, o Governo do Paraguai já deliberou a licitação para o EVETEA de trecho entre Salta na Argentina a Carmelo Peralta, que encontraria a ferrovia dos trilhos da ferro guarani, desta maneira poderia acessar através de Porto Murtinho, a Cascavel, a Maringa, a Campo Grande , a Grande Dourados e aos territórios paraguaios dos Departamentos de Canindeyu, Caazapa, Caaguaçu e Alto Parana. Tecidos por uma malha ferroviária integrando economia, cultura e desenvolvimento, o Estado de Mato Grosso do Sul, deixa de ser um paralelo e passa a ser o caminho do Brasil para os mercados asiáticos, afirma Odilon Trindade Valençoela.

 

Comentar

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Ir para o topo